segunda-feira, 6 de abril de 2015

#62 - ALL OR NOTHING AT ALL, Frederico Barbosa

Tudo ou todo nada,
pedra ou furo d'água,
feito cada palavra,
lança, dardo, ferida,
em cheio nada.

De nada em nada,
o se-dizer do tudo,
feito risco na água,
onda, contorno,
reflexo de nada.

Nada feito nada,
no poema
naõ há termo meio,
meio-amor, meia palavra.

Do sem
sentido intenso
se faz um tudo atento,
feito a palavra
em cantada,

nada
feito
nada.

Sem comentários:

Enviar um comentário

#91 - HOMERO, Sophia de Mello Breyner Andresen

Escrever o poema como um boi lavra o campo Sem que tropece no metro o pensamento Sem que nada seja reduzido ou exilado Sem que nada separ...